Grupo é preso em esquema de lavagem dinheiro sob comando de colombianos

Operação foi feita pela polícia civil. Dentre as 11 pessoas presas há também brasileiros envolvidos.

Regional

Foto reprodução : Lorena Tavares/SVM

Na manhã desta terça-feira (03), um grupo de colombianos foi preso por suspeita de esquema de lavagem de dinheiro e agiotagem. A operação foi feita pela polícia civil. Dentre as 11 pessoas presas há também brasileiros envolvidos.

Para a lavagem de dinheiro, parte da quantia era enviada para a Colômbia, segundo investigações. Ao todo, a policia cumpriu 57 mandados – sendo 31 de busca e apreensão, 9 de prisão preventiva e 17 de sequestros de bens, nas cidades do Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha. Duas pessoas foram presas em flagrante por estarem participando de esquema de agiotagem.

As investigações apontam que o esquema funcionava com a exploração de pessoas economicamente vulneráveis, que recebiam dinheiro emprestado com juros altos.

Com os investigados foram apreendidos motocicletas, carros e R$ 20 mil em moeda nacional e estrangeira (dólar, euro e pesos colombianos). .

Desdobramentos do caso

De acordo com o Delegado Giuliano Vieira, o caso se trata de uma operação que movimentou cerca de 2,5 milhões na Colômbia em seis meses.

A investigação acontecia há quatro meses, mas desde o ano passado a polícia já recebia denúncias sobre extorsão de dinheiro. Sobre os juros, a polícia informou que era cobrado 20% (vinte por cento) em cima da quantia que fosse emprestada.

Fala do Delegado da Polícia Civil do Estado do Ceará – Giuliano Vieira

Das onze pessoas envolvidas que foram presas pela Polícia Civil, nove foram capturadas através de mandados, e duas delas foram presas em flagrante pelo crime de agiotagem, prevista na Lei dos Crimes contra a Economia popular.

O delegado Giuliano Vieira falou em coletiva sobre os desdobramentos do caso:

“Os valores dos empréstimos variavam entre R$ 100,00 e R$ 3 mil, mas poderia ser ilimitado. As ofertas feitas por eles pareciam ser tentadoras. Eles distribuíam cartões com contatos e dizeres ‘empréstimos para comerciantes’ e com a opção de planos de pagamentos diários. Dessa forma, eles atraíam os clientes”.

O delegado Giuliano também afirmou que a movimentação financeira era integrada ao sistema ligado a uma central na Colômbia e ainda monitorado por meio de um aplicativo.

Com o grupo, foram apreendidos 11 veículos, sendo 5 carros e 6 motocicletas; 27,5 mil reais , e mais de 100 dólares, 102 euros e 1.848.400 (um milhão e oitocentos e quarenta e oito mil e quatrocentos) pesos colombianos, além de aparelhos celulares e computadores.

Foram presos por mandados de prisão, os colombianos Mario Andres Nunes Prieto (30), Omar Camargo Lizarazo (55), Jhon Edson Grajales Buitrago (29) e Darwin Plazas Alvarado (32), além dos brasileiros Dejesus Moreira Pires (25), Fabrício Duarte Monteiro (23), Jaqueline Maria da Silva (37), Paulo Aleff Rodrigues de Lima (26) e Paulo Morais de Lima (50).

Por flagrante, foram capturados o colombiano Yilber Arbey (30) e a brasileira – natural do Pará – Renata Janaína de Souza Batista (31). A dupla foi autuada em um termo circunstanciado de ocorrência (TCO) pelo Crime contra a Economia Popular.

A maioria dos suspeitos ficaram entre seis meses a um ano no Brasil, e ainda passaram por várias cidades do mesmo Estado ou de outros, cometendo o mesmo tipo de crime e saindo rapidamente como uma forma de tentar evitar a prisão.

Segundo o delegado regional, Luiz Eduardo, as investigações continuarão acontecendo e ainda serão feitas as análises dos materiais apreendidos para se chegar a participação de outras pessoas.

As investigações continuarão acontecendo e ainda serão feitas as análises dos materiais apreendidos para se chegar a participação de outras pessoas. O delegado comentou ainda que esse tipo de ação criminosa vem atingindo todo o Estado do Ceará e operações estão sendo feitas para combatê-la.

Em relação a quantidade de pessoas que foram vítimas, a polícia acredita que tenha sido por volta de 50 a 100 pessoas que possuem pequenos comércios na Região do Cariri.

Além do Ceará, o esquema vem sendo implantado no Estado de Pernambuco.

Share this Story
Carregar mais Posts Relacionados
Carregar Mais Por Iara Meneses
Carregar Mais Em Regional

Veja Também

Cariri: advogada é presa suspeita de se envolver com facções criminosas em Crato

A advogada Elisângela Mororó estava com mandado de prisão em aberto. Ela foi presa junto a dois suspeitos de integrar uma facção criminosa.