Extrema pobreza cresce e desigualdade atinge nível record no Brasil

Por estado, o Maranhão tem a maior proporção de pobres

Brasil

Foto: Agência Globo

A extrema pobreza atinge 135 milhões de brasileiros. Nos últimos quatro anos, mais de 4,5 milhões de pessoas foram levados para essa condição que é resultante da crise econômica no país. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgados na manhã desta quarta-feira (6).

Em 2018, chegou a 13,5 milhões o número de brasileiros vivendo abaixo da linha da extrema pobreza – 4,5 milhões a mais que em 2014, quando o país vivia sob os patamares mais baixos de desemprego. É o maior contingente de pessoas nesta condição na série histórica do estudo, iniciada em 2012.

O rendimento médio dessas pessoas foi de R$ 69 por mês. O valor é bem abaixo do padrão definido pelo Banco Mundial para estabelecer o recorte de pobreza. Pelos critérios da instituição são considerados extremamente pobres aqueles que vivem com até com até US$ 1,90 por dia — o equivalente a cerca de R$ 145 por mês.

Por estado, o Maranhão tem a maior proporção de pobres, com 53% da população nesta condição, enquanto Santa Catarina tem a menor proporção, com 8%.

Segundo o IBGE, é considerado em situação de extrema pobreza quem dispõe de menos de US$ 1,90 por dia, o que equivale a aproximadamente R$ 145 por mês. Essa linha foi estabelecida pelo Banco Mundial para acompanhar a evolução da pobreza global.

Share this Story
Carregar mais Posts Relacionados
Carregar Mais Por Joedson Kelvin
Carregar Mais Em Brasil

Veja Também

Chuvas no Cariri amenizam calor neste início de semana

Os últimos meses foram marcados por muito calor na região, com as precipitações, apesar do pouco volume registrado, o clima ficou mais ameno.