Salles anuncia criação de fundo com BID para Amazônia

Os valores investidos para o novo fundo ainda não foram divulgados

Economia
Queimadas na Amazônia

Foto: Victor Moriyama/Greenpeace)

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, disse nesta quinta-feira (20) que criará um novo fundo de investimentos com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para a Amazônia. O anuncio aconteceu após reunião em Washington com o presidente do BID, Luis Alberto Moreno.

O ministro não deu detalhes sobre quais países ou entidades contribuirão com o dinheiro. Os valores investidos e início da vigência do novo fundo também não foram divulgados. Salles apenas disse que os valores serão “bastante significativos”

“Essa estruturação ainda estamos montando, mas é um fundo que contempla países e setor privado tanto na ponta de doação quanto no recebimento dos investimentos, para pesquisa, desenvolvimento de atividades. Tende a ser um instrumento consistente para finalmente desenvolver essa oportunidade da bioeconomia na Amazônia”, afirmou o ministro.

A pauta sobre as possibilidades de verba já estava sendo discutida no BID, o questionamento era de utilizar verba existente, mas optaram pela criação de um novo fundo.

Fundo paralisado

O ministro do Clima e Meio Ambiente da Noruega, Ola Elvestuen, anunciou em agosto, a suspensão dos repasses de R$ 133 milhões, que estavam destinados ao Fundo Amazônia.

A embaixada da Noruega no Brasil esteve reunida com os governadores que formam a Amazônia Legal, há uma semana, mesmo elogiando o encontro, a Embaixada afirmou que os repasses permaneceram suspensos devido a divergências com o governo brasileiro.

O presidente francês, Emmanuel Macron, anunciou que contribuiria com US$ 20 milhões para combate às queimadas, mas o governo brasileiro rejeitou a oferta.

Share this Story
Carregar mais Posts Relacionados
Carregar Mais Por Rayssa Leonel
Carregar Mais Em Economia

Veja Também

MP-SP investiga como homicídios mortes em baile em Paraisópolis

A MP se referiu as mortes como homicídio, mas não responsabilizou a PM.