Time do Barbalha fecha acordo com goleiro bruno, afirma presidente do time

Lúcio Barão destaca que quem vai determinar a vinda do goleiro é a justiça.

Regional
Determinação da vinda do goleiro Bruno para o Barbalha será feita pela justiça.

Com contrato reincidido com o time Poço Caldas FC o goleiro Bruno é cotado para compor a equipe do Barbalha FC para temporada de 2020. Em coletiva de imprensa o presidente do time, Lúcio Barão, afirma que foi gerado um pré-contrato que está sendo analisado com o jurídico do goleiro Bruno e será assinado ainda hoje (01). Lúcio ainda destaca que quem vai determinar a vinda do goleiro é a justiça.

Após vencer na primeira fase do estadual de 2019 e conquistar a vaga para a copa do Brasil, o Barbalha estará na primeira divisão em 2020. Para isso a diretoria do time diz que chegaram a um consenso até chegar no nome do goleiro para reforçar a equipe nessa etapa.

Em agosto, por meio de enquete nas redes sociais do clube foi realizada uma consulta aos torcedores do time. O objetivo foi verificar a opinião destes sobre a contratação do goleiro para compor a equipe do Barbalha, assim se teve 52% dos votos de um total de 15.000 votaram apoiando a vinda do goleiro para o time. Confira mais informações no FooPost.

ACUSAÇÕES

O goleiro foi preso em Setembro de 2010 e condenado em março de 2013 pelo homicídio triplamente qualificado de Eliza Samudio e pelo sequestro e cárcere privado do filho Bruninho. Ele também havia sido condenado por ocultação de cadáver, sendo que esta pena foi extinta, pois para a Justiça o crime prescreveu sem ser julgado em segunda instância. No último 19 de julho Bruno foi solto.

Condenado a 20 anos e 9 meses de prisão, bruno conseguiu progressão para o regime semiaberto e para atuar novamente no futebol , em função da condenação, o atleta precisa de autorização da justiça.

Share this Story
Carregar mais Posts Relacionados
Carregar Mais Por Iara Meneses
Carregar Mais Em Regional

Veja Também

Cariri: advogada é presa suspeita de se envolver com facções criminosas em Crato

A advogada Elisângela Mororó estava com mandado de prisão em aberto. Ela foi presa junto a dois suspeitos de integrar uma facção criminosa.